Comemorando dia dos pais
Introdução Tarefa Processo Avaliação Conclusão Créditos


Warning: getimagesize(pastas/13368/SEM IMAGEM) [function.getimagesize]: failed to open stream: No such file or directory in /home/webquestfacil/www/introducao.php on line 20

O cuidado com crianças é uma tarefa e responsabilidade das famílias, desde o inicio da humanidade, porém no inicio não trabalhava com intuito de educar, apenas cuidar e as crianças ficavam misturadas, as pequenas com as maiores. Mas a partir do século XIX começou a mudar a visão e os métodos pedagógicos começaram entrar em prática. A partir deste período, surgem alguns pensadores que defendiam uma escola diferenciada para as crianças pequenas.

 Platão escreveu extensamente sobre a educação para crianças, como também John Amós Comenius que escreveu School of Infancy “escola do colo da mãe” em que mesmo do quarto da fazenda, a criança aprendia o básico, ou seja, as cores, as plantas, os animais, etc. Segundo SPODEK (1998) “Poderíamos voltar no tempo para identificar como a educação das crianças pequenas se dava desde o surgimento da raça humana. Mas esta educação era informal, educar e cuidar era responsabilidade das famílias”.

 A evolução da Educação Infantil iniciou devido a uma nova etapa da construção de concepções sobre a criança percebendo que através do brincar, ela passava a vivenciar um mundo de fantasias onde usava sua imaginação que é uma das condições essenciais para que a criança venha se desenvolver.

Na antiguidade as crianças participavam, tanto quanto os adultos, das mesmas festas, mesmas brincadeiras, pois era um dos principais meios de que dispunha a sociedade para se unir, mas esse divertimento passa a sofrer uma atitude moral contraditória por parte dos moralistas e pela Igreja, que associavam os prazeres carnais, ao vicio e ao azar.

A brincadeira proporciona o desenvolvimento da linguagem, do pensamento, da concentração e da atenção e  ressalta a importância da brincadeira no processo de aprendizado e socialização e é do conhecimento de muitas pessoas que o sentido da vida de uma criança é a brincadeira. Brincando elas reproduzem situações concretas pondo-se no papel dos adultos, imitando-os e procurando entender o seu comportamento.

Segundo a autora Gisela Wajskop: “Brincar é a fase mais importante da infância no desenvolvimento humano neste período por ser auto ativa representação do interno a representação de necessidade e impulsos internos” (1995, p.68).   

O brincar é elemento essencial para o desenvolvimento e aprendizagem da criança, desde bebê, a brincadeira constitui-se em uma atividade prazerosa e rica em aprendizados. Assim, falar da infância é falar de um momento mágico, onde os sonhos tornam-se possíveis.

As atividades lúdicas permitem à criança enfrentar desafios e problemas e as mesmas são fundamentais no contexto da Educação Infantil. Segundo Piaget (1998), "a criança explorador-pesquisadora constrói o seu conhecimento pela experiência, com ênfase na interação indivíduo ambiente”.

Brincar é uma necessidade básica assim como é a nutrição, a saúde, a habitação e a educação. Brincar ajuda a criança no seu desenvolvimento físico, afetivo, intelectual e social, pois, através das atividades lúdicas, a criança forma conceitos, relaciona ideias, estabelece relações lógicas, desenvolve a expressão oral e corporal, reforça habilidades sociais, reduz a agressividade, integra-se na sociedade e constrói seu próprio conhecimento.

Brincando a criança desenvolve potencialidades, ela compara, analisa, nomeia, mede, associa, calcula, classifica, compõe, conceitua e cria. O brinquedo e a brincadeira traduzem o mundo para a realidade infantil, possibilitando a criança a desenvolver a sua inteligência, sua sensibilidade, habilidades e criatividade, além de aprender a socializar-se com outras crianças e com os adultos.

É importante ressaltar que o brincar faz parte da infância, porém, em várias ocasiões, os adultos propõem determinadas atividades para as crianças que parecem não cumprir os critérios mencionados a eles, mas que são chamadas de “brincadeiras” pelos próprios adultos. Se a atividade é imposta ou se parece desagradável para a criança, tudo indica que não se trata de uma brincadeira, mas de qualquer outra atividade.

Brincar é uma atividade cotidiana na vida das crianças. É o brinquedo a forma pela qual ela resolve a maioria dos conflitos criados pelas limitações do mundo em que vive e que é, eminentemente, um mundo dos adultos. Através da brincadeira a criança expressa sua forma de representação da realidade. Sobre a importância do ato de brincar para o desenvolvimento psíquico do ser humano.

Nenhuma criança brinca espontaneamente só para passar o tempo. Sua escolha é motivada por processos íntimos, desejos, problemas, ansiedades. O que está acontecendo com a mente da criança determina suas atividades lúdicas; brincar é sua linguagem secreta, que devemos respeitar mesmo se não a entendemos.” (BETTELHEIM,1984, p. 105)

 

Queremos demonstrar neste projeto de ação, a importância do brincar e da brincadeira, ao mesmo tempo mostrar que a infância deve ser respeitada, pois se a criança for considerada um adulto em miniatura pior para ela futuramente a vida cobra etapas não vividas. As necessidades lúdicas e afetivas da criança têm a mesma importância que as necessidades físicas. Segundo VYGOTSKY (1988, p. 177):

 

“No brinquedo a criança sempre se comporta além do comportamento habitual de sua idade, além de seu comportamento diário é como se ela fosse maior do que é na realidade. Como no foco de uma lente de aumento, o brinquedo contém todas as tendências do desenvolvimento sob forma condensada, sendo ele mesmo, uma grande fonte de desenvolvimento”.

 

Desta forma, a brincadeira deve estar sempre presente na vida da criança, seja em casa, na instituição da Educação Infantil, ela deve ser praticada de maneira despreocupada, sem cobranças, de forma espontânea e acima de tudo, com prazer.

 


© 2010 Todos direitos reservados.